O problema da opinião alheia…

opinion2

“Para criar inimigos não é necessário declarar guerra, basta dizer o que pensa” (Martin Luther King)

É com esta frase que inicio meu texto, pois é exatamente isso o que quero dizer.
Hoje, as pessoas acham que tudo é motivo para brigar, discutir, xingar o outro.
Gosto de me descrever como alguém observadora das coisas que me agradam. Faço parte de redes sociais e acompanho posts diários de muitas páginas. Inúmeras vezes observei que as discussões começam do nada. É só alguém ler algo do qual discorda que já vem “com os dois pés no peito” do outro. O respeito é coisa do passado. O mundo começa a se resumir em selvageria.
Quando não começa assim, é de forma mais sutil.

Certo dia estava em um site sobre cachorros e comentei a postagem do mesmo (o conteúdo do post e do comentário são irrelevantes). Uma menina surgiu me questionando devido a uma crítica que fiz, que era baseada em uma opinião pessoal – a qual deixei bem clara desde o começo do comentário. Ou seja, não se pode exprimir um pensamento, uma sensação ou o que quer que seja sem sofrer as consequências. Ela surgiu falando em  defensiva como se eu a tivesse atacado, citou meu nome, e disse que ela tinha a opinião dela e eu tinha a minha.
Fiquei boba de ver a ignorância da garota. Aí sim me incomodei. Deixei mais claro ainda, caso ela não tivesse notado antes, que estava só expressando a minha opinião e que respeito as opiniões alheias. Mas o estrago estava feito: minha irritação estava a mil por não entender de onde surgiu esta menina e seus questionamentos. Mantive a compostura e deixei-a falando sozinha.

Outra vez vi um post em uma página do Facebook, no qual criticavam as mulheres que ficavam com 50 homens no carnaval e depois vinham postando frases carentes e religiosas na rede social. A maior parte dos garotos que liam o post, concordavam. Mas, foi só uma garota surgir defendendo que muitos homens fazem o mesmo que a coisa virou para a coitada. Xingaram -na de coisas desnecessárias que nem convém escrever aqui. E quanto mais ela tentava se defender, pior ficava, porque mais e mais gente surgia condenando a garota. Minha paciência acabou e eu fui logo saindo.

O problema é que todo mundo generaliza tudo. Quando falam de alguns exemplos, todos pensam que se aplicam ao resto. E ai de alguém se disser algo contrário. Vira motivo de chacota, xingamentos, desrespeito total.
Até brigar por raça de cachorro eu já vi. Certa vez uma garota que tenho no Facebook começou a condenar todas as pessoas – de forma generalizada mesmo – que compravam cachorros de raça. Dizia que eles estimulavam os “mercenários” que criavam cachorros para procriar e vender os filhotes. Afirmava que o ideal era adotar, gabando-se dos seus 5 cachorros provenientes da rua. Eu já tive vários cachorros na minha vida, adotados e comprados, vira latas e de raça. Nunca mostrei preferência por um ou outro porque acredito que cachorro é tudo igual: amoroso, companheiro, fiel, amigo, brincalhão, cão de guarda…
Acredito que ela foi ainda pior criticando e se colocando contra os cachorros de raça… e isso não é uma discriminação?

Ignorâncias à parte, defendo que todos têm direito a expressar suas opiniões e pensamentos, mas por favor, respeitem as opiniões alheias. Xingar o outro não é fazer parte de um mundo aberto às outras opiniões. É se fechar ao resto e acreditar que seu mundo é único e inflexível. Não faça como tantas pessoas ignorantes e selvagens. Destaque-se respeitando os outros, afinal, hoje em dia isto é cada vez mais raro.

Advertisements

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out /  Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out /  Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out /  Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out /  Change )

Connecting to %s